Compre Agora

terça-feira, 21 de junho de 2011

Justiça decreta prisão preventiva do Prefeito de Senador Pompeu e mais 19 pessoas

Por Jackson Perigoso


São acusados de crimes de ´lavagem´ de dinheiro, peculato e formação de quadrilha.


A justiça cearense não tem dado trégua aos políticos que tem praticado atos ilícitos contra a administração pública, demonstração clara disso foi com a decisão do Tribunal de Justiça do Ceará em mandar para a cadeia mais um prefeito e com ele várias pessoas.
O desembargador Darival Bezerra, decretou nesta terça-feira, 21, a prisão do prefeito de Senador Pompeu, Antônio Teixeira de Oliveira e mais 19 pessoas que são suspeitas de fraudes em licitações e desvio de recursos públicos, além de formação de quadrilha.

Conforme os autos, o prefeito é acusado, entre outros crimes, de ´lavagem´ ou ocultação de bens, direitos ou valores; além de falsidade ideológica, peculato e formação de bando ou quadrilha. O processo, de número 0003062-26.2011.8.06.000, havia sido encaminhado ao Tribunal de Justiça do Estado do Ceará (TJCE) através do Ministério Público Estadual, por meio do promotor Luís Alcântara, representante da Procuradoria de Crimes Contra a Administração Pública (Procap).
Paralelamente, também outro processo foi instaurado contra o prefeito Antônio Teixeira de Oliveira e as seguintes pessoas; Raimundo Morais Filho, o ´Moraisinho´ (empresário já preso pela Polícia Federal por envolvimento em fraudes nas licitações de verbas públicas federais e estaduais), Francisco Monte Morais, Rodrigo Coelho Mota, Andreza de Abreu Sampaio Coelho Mota, Claudiana Barbosa de Almeida e Rodrigo Barbosa Menezes. Os sete foram citados numa ação civil pública que apura o crime de improbidade administrativa. Ontem (20), o processo foi distribuído para a Vara Única da Comarca de Senador Pompeu.

As investigações aconteceram em conjunto com o Ministério Público Estadual (MPE), a Controladoria Geral da União (CGU) e a Polícia Federal (PF) se uniram para colocar em prática as operações ´Província´ e ´Gárgula´. O suposto desvio de verbas naquele Município pode chegar à quantia de R$ 3 milhões, relativos a fraudes em licitações para a realização de obras ´fantasmas´ como construção e recuperação de estradas, implantação de calçamento em vias urbanas e reformas em escolas e unidades de saúde entre os anos de 2007 e 2009. Segundo o prefeito em entrevista anterior a imprensa, não houve desvio de dinheiro nem superfaturamento nas obras licitadas.


De acordo com as informações preliminares o prefeito e os envolvidos ainda não se apresentaram a polícia. O clima na cidade é tenso  e a polícia já reforçou o efetivo para evitar conflitos entre partidaristas. 

Fazemos parte da rede do Portal Revista Central - informação em tempo real com credibilidade. acesse: www.revistacentral.com.br

Nenhum comentário:

::: NOSSOS VÍDEOS

Loading...