Compre Agora

quinta-feira, 14 de abril de 2011

Gasolina chega a R$ 3,04 no Interior


Por Redação
Andar de carro no interior está mais caro. A gasolina comum tem preço bem maior que nos postos de Fortaleza. 

Os consumidores reclamam dos altos preços da gasolina praticados em Municípios do Interior do Estado, enquanto os donos de postos dizem apenas repassar a alta das distribuidoras, puxada principalmente pelo preço do etanol anidro, que é o álcool utilizado na mistura da gasolina, que pode chegar a 25%. Em Crateús, a gasolina já chega a R$ 3,04.

Nas cidades de Crato e Juazeiro os preços da gasolina variam de R$ 2,86 a R$ 2,93. Já o álcool, que teve altas consecutivas nos últimos seis meses, varia de R$ 2,24 a R$ 2,54.

A boa notícia vem do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Ceará (Sindipostos). A perspectiva é de que, do final de abril até o início de maio, poderá começar a ter baixa no álcool, por conta da nova safra, já com resultado no mercado. Segundo o presidente do Sindipostos, Guilherme Medeiros, a baixa deve ocorrer na mesma velocidade que ocorreu o aumento dos combustíveis. "Isso é muito preocupante. Há a pressão dos consumidores, que é legítima, e a bronca acaba na revenda, que tem que repassar os aumentos", diz ele.

O etanol ainda poderá chegar a R$ 3,00 e esse valor deverá respingar em mais R$ 0,05 para o consumidor, sem falar, conforme o presidente, na nova pauta do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS), para o próximo sábado, que poderá onerar a gasolina em mais R$ 0,03.

Em Crateús, os preços dos combustíveis variam entre os postos. A gasolina mais em conta é no Posto AG, na saída para Novo Oriente. O litro da gasolina comum é R$ 2,98. Nos demais, o valor varia entre R$ 3 e R$ 3,04 o litro. A mais cara é no Posto Rio Poty.

Já a aditivada, a diferença entre a mais barata e a mais cara chega a R$ 0,10, que já faz diferença no bolso do consumidor. A aditivada mais barata é R$ 3,00 o litro, no Posto AG. A mais cara, no Posto Rio Poty, comercializada a R$ 3,10.

O gerente do Posto Rio Poty, Iran Adão, explica que os valores não estão estáveis e podem mudar nos próximos dias. "Não está estabilizado ainda, pode subir um pouco ou baixar". Ressalta ainda que o Posto aguarda posicionamento da Petrobras.

Para Franci Nunes, gerente do Posto AG, onde a gasolina tem menor preço, os repasses das distribuidoras vêm acontecendo desde março. A direção do Posto é que não tem repassado para os consumidores na mesma proporção. "As distribuidoras já estão repassando aumento semanalmente para nós, antes mesmo da Petrobras anunciar. Nós não estamos nem repassando a mesma margem para o consumidor, que reclama quando o combustível aumenta", explica.

Nos demais combustíveis, também há diferença de valores entre os postos. O litro de álcool varia de R$ 2,30 a R$ 2,49. Já o diesel, varia de R$ 2,05 a R$ 2,12, sendo os preços mais baratos e mais caros praticados, respectivamente nos mesmos postos citados acima.

No Crato, a gasolina tem uma variação de até R$ 0,10 na gasolina. No Posto Avenida, no Bairro São Miguel, o combustível chega a R$ 2,86. Já no Posto do Pimenta, o valor está a R$ 2,89. A alta do preço, segundo o proprietário do posto, Antônio Duarte, sequer foi repassada em sua totalidade para o consumidor, que corresponderia a 7%. Ficou em cerca de 4%.

Já em Juazeiro do Norte, a diferença de preços pode chagar a R$ 0,14. O posto Ale, na Avenida Padre Cícero, teve o menor preço encontrado pela reportagem, R$ 2,79. O gerente, Raimundo Peixoto, justifica o valor porque o posto está numa via fora da área urbana. Em compensação, um dos preços mais elevados foi constado no Posto Shopping, no Bairro Santa Teresa. Os valores são de R$ 2,93, para a gasolina aditivada e R$ 2,92 a comum.

Em Limoeiro do Norte, a gasolina comum pode ser encontrada a R$ 2,94. Já a aditivada, R$ 2,96, e o litro do álcool a R$ 2,33. O menor preço da gasolina está em postos do Centro da cidade, R$ 2,88, o litro da comum. Nos demais postos a variação é mínima. Por Limoeiro passam muitos carros e caminhões que seguem para Fortaleza ou o sul do Estado.

O Município também é corredor de escoamento da fruticultura irrigada. Porém, justamente pelos altos preços dos combustíveis, muitos motoristas preferem abastecer fora da cidade.

Zona Norte
Em Sobral, a Câmara de Vereadores realizou no ano passado audiência pública para discutir a política de preços de combustíveis. Para muitos consumidores, são praticados em forma de cartel. Apesar do grande número de autoridades presentes, na reunião, o Município não conseguiu acabar com essa política. "Precisamos retomar essa discussão, alguém tem que fazer alguma coisa, do jeito que está não dá", disse o vereador Paulo Vasconcelos, se referindo ao preço da gasolina comum que atualmente é cobrado na maioria dos postos a R$ 2,99 o litro.

O Posto Nordeste, localizado na Avenida Senador Fernandes, Bairro Sinhá Sabóia, é o único onde o produto é encontrado a um preço inferior na cidade.

O litro da gasolina comum pode ser comprado no local ao preço de R$ 2,91, oito centavos a menos que nos demais.

Em Quixeramobim não há opção. Quem não tomar cuidado pode desembolsar até R$ 2,94 pelo litro e perder dinheiro quando precisar encher o tanque. Em cidades menores, como Choró, quem possui carro ou motocicleta também deve ter atenção. Lá, a disputa entre os dois postos já baixou a gasolina a R$ 2,62. Hoje, o preço subiu um pouco. Está a R$ 2,65. No concorrente está a R$ 2,75, mas há promessa de queda no preço. Está sendo negociado com o fornecedor, conforme garantem frentistas da cidade.
ENQUETE 
Pressão no varejo
"Há a pressão dos consumidores, que é legítima, e a bronca acaba na revenda, que tem que repassar os aumentos"
Guilherme MeirelesPresidente do Sindipostos
"A minha expectativa é que o preço permaneça como está, mas os boatos são de aumento ainda mais em Iguatu"

João Farias, Professor em Iguatu

"Acho que os postos combinam os preços. É muita coincidência todo mundo vender combustível em Sobral pelo mesmo preço"

Luiz Carlos de Lima Filho, Ag. de Saúde em Sobral

VARIAÇÃO

Pesquisar preço favorece consumo

Iguatu/Quixadá
 A gasolina comum vendida no Centro-Sul tem preço variado de até 22 centavos entre postos de um Município para outro. O consumidor deve ficar atento. Em Iguatu, o preço do litro varia entre R$ 2,67 a 2,79. O valor do litro do álcool combustível (etanol) apresenta variação de R$ 2,29 a R$ 2,45. Nos últimos dez dias, houve aumento de preço em alguns pontos de venda, mas outros ainda não repassaram para os clientes.


A cidade de Mombaça é quem apresenta o maior valor em comparação regional do litro da gasolina, que é comercializado por R$ 2,89. O proprietário de posto, Francisco Braga Júnior, explicou que houve um aumento de oito centavos, que foi repassado para os consumidores. Em postos da cidade de Icó, o preço do litro da gasolina subiu dez centavos, passando de R$ 2,74 para R$ 2,84.

Em Acopiara, o litro da gasolina comum é vendido por R$ 2,85 e apresenta o mesmo preço entre os postos. Também houve majoração na semana passada. "Compramos com aumento de 10 centavos, mas ainda não repassamos todo para o consumidor", explicou o gerente de posto, Josué Andrade. Nesta cidade, ainda não houve repasse de aumento no preço dos combustíveis para os consumidores. "Tomara que o preço permaneça como está", disse o professor João Alverne Farias. Entretanto, os donos de postos dizem que não há como manter o valor atual. Quando há bandeira livre, o combustível pode ser adquirido de qualquer fornecedor e, por isso, há diferença de preço. Há outras variáveis: qualidade do produto, margem de lucro, responsabilidade fiscal e frete diferenciado entre as cidades. "É preciso ver tudo isso", disse o gerente Luís Lima.

Sertão Central
A concorrência entre os postos acabou com a sensação de cartel sentida pelos consumidores da região Centro do Estado. Até pouco tempo atrás o preço era praticamente o mesmo em todas as bombas. Diferença, apenas no valor do combustível comum para o aditivado, e de uma cidade para outra. Quanto mais distante da Capital, mais elevado o preço praticado.

Mas, atualmente, o consumidor que estiver de olho no mercado pode economizar um pouco. Em Quixadá, a gasolina comum pode ser encontrada a R$ 2,79. Todavia, quem não estiver atento pode perder R$ 0,06 no litro, onde a gasolina é mais cara, custa R$ 2,85. Nesse caso, justificam os empresários do setor de combustíveis que há prazo para pagamento, de até 30 dias. Apenas o álcool não tem diferença. Custa R$ 2,35.
Com informação do Diário do Nordeste.


Fazemos parte da rede do Portal Revista Central - informação em tempo real com credibilidade. acesse: www.revistacentral.com.br

Nenhum comentário:

::: NOSSOS VÍDEOS

Loading...