Compre Agora

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Exclusivo: Quixadá está praticamente fora da disputa pelo Hospital Regional do Sertão Central

Prefeito de Quixadá não atendeu as nossas ligações e tampouco retornou.

Bem diferente do trabalho realizado pelo grupo de mobilização que colhem assinaturas para a implantação do futuro Hospital Regional do Sertão Central em Quixadá, os critérios para a escolha do local da nova e moderna unidade não terá crivo técnico, o governador Cid Ferreira Gomes já adiantou que cada município interessado deve expor a razão para receber o empreendimento, mas categorizou instrumentos necessários como a apresentação de um terreno de 3 hactares para doação da futura sede ainda no final de janeiro, como também o peso que cada município terá na escolha da cidade pólo.

Quixadá, Quixeramobim e Canindé são os principais interessados nesse mega projeto de mais de 90 milhões de reais em investimentos, cabe ponderar que dentro dessa metodologia de escolha a cidade de Quixeramobim parte na frente. O prefeito Edmilson Júnior sem perder tempo já costurou junto ao Secretário de Saúde do Estado do Ceará, Arruda Bastos, visita ao município, onde adiantou que já se reuniu com os prefeitos de Milhã, Pedra Branca, Solonópole, Mombaça, Madalena, Boa Viagem, Senador Pompeu e Piquet Carneiro que já decidiram em apoiar a escolha de Quixeramobim como sede do maior hospital da região. Em reunião com o governador Cid Gomes, já definiram a criação da macrorregional de Saúde, colhendo dividendos importantes para garantir a instalação do hospital na cidade. Em relação ao terreno o prefeito deve apresentar nos próximos dias o terreno ideal com escritura pública, exigência indispensável para a concretização do processo de escolha.

A cidade de Quixadá dificilmente conseguirá o apoio necessário para superar Quixeramobim que conta com 8 cidades já declaradas, o município possui apenas 4 cidades, Banabuiú, Choró, Ibaretama e Ibicuitinga. Outra dificuldade a vista é a escolha de um terreno ideal, a Prefeitura de Quixadá não dispõe de bons terrenos nesse porte, conseguir um terreno em tão pouco tempo é um desafio ameaçador, comprar terrenos na cidade virou uma dor de cabeça devido a especulação imobiliária, preços exorbitantes e muitos deles irregulares. O local a ser instalado o hospital regional deve ser de fácil acesso com ampla área para a construção e espaço para estacionamento, terreno esse que Quixadá não possui e dificilmente conseguirá comprar, pois, é de conhecimento público que a prefeitura de Quixadá passa por problemas financeiros, não dispondo de fundos para adquirir terras a preços tão valorizados, e, principalmente porque os problemas burocráticos para a legalização demoraria muito tempo.

A reportagem do Portal Revista Central tentou comunicação com o prefeito Rômulo Carneiro há vários dias, sendo que o mesmo não atendeu as ligações e nem retornou para esclarecimentos a população sobre o assunto. O RC segurou por uma semana essa matéria tentando ouvir sua excelência o prefeito de Quixadá, sobre a real situação do município nessa disputa.

A cidade de Canindé é outra interessada na luta pela sede do Hospital Regional, entretanto mergulhou no mesmo erro de Quixadá em tentar assinaturas para sensibilizar o governador, suas chances em representar o Sertão Central são bem pequenas já que a cidade está mais próxima de Fortaleza e não conta com grande adesão de apoio a sua candidatura. Canindé é outra que praticamente não tem condições de receber a unidade pela sua localização geográfica.

Saiba Mais

O futuro Hospital Regional do Sertão Central contará com uma estrutura de 294 leitos, 174 enfermarias, 51 de emergência, 20 leitos de UTI adulto, 15 de cuidados Semi-intensivos, Centro de Imagem; atendimentos com especialidades em: traumato-ortopedia, cirurgia plástica, neurologia, cirurgia vascular, cardiologia, proctologia, urologia, oftalmologia, mastologia, cirurgia geral e clínica médica, contanto com 996 profissionais de saúde, além dos trabalhos de higienização e vigilância da área, investimento do governo do Estado em um montante de 96 milhões de reais, beneficiando toda a população do Sertão Central cearense.

Quanto aos recursos humanos estão estimados 387 médicos nas diversas especialidades. 314 profissionais de nível superior de áreas não médicas, 491 profissionais de saúde de nível médio e 320 profissionais administrativos e técnicos, totalizando assim 1.512 funcionários. O Hospital Regional dos Sertões desenvolverá atividades de Ensino e Pesquisa contribuindo de forma significativa para a formação de recursos humanos na área de saúde em nosso estado

Fábio Oliveira
Revista Central de Quixadá

Nenhum comentário:

::: NOSSOS VÍDEOS

Loading...