Compre Agora

sábado, 29 de janeiro de 2011

Comunidade Novos Horizontes será reconhecida pelo Vaticano

Católicos da Novos Horizontes estão em festa pela decisão da Igreja Católica em prol de seu reconhecimento

Foto Alex Pimentel DN
Quixadá. Doze membros da Comunidade Novos Horizontes viajam para Roma na próxima quarta-feira, 2 de fevereiro. Em nome da congregação leiga religiosa voltada à assistência a crianças de rua, vítimas da violência, e dependentes químicos na cidade de Quixadá, a comitiva vai receber das mãos do Papa Bento XVI o reconhecimento da Igreja Católica como entidade cristã voltada às obras de Deus. No Brasil, apenas o Shalom e a Canção Nova receberam esse título do pontifício.

A conquista é comemorada com orgulho pela fundadora da Novos Horizontes, a italiana Chiara Amirante, e pela equipe de Quixadá, formada por missionários, voluntários e ex-dependentes de drogas. A coordenadora geral da instituição no Brasil, psicóloga Sandra Taranto, divide sua alegria com os coordenadores da Cidadela Rainha do Sertão, como o abrigo das crianças e adultos erguido ao lado do Santuário de Nossa Senhora Imaculada Rainha do Sertão, na Serra do Urucu, já conhecido mundo afora.

O título chega com a inauguração da segunda unidade da Casa de Acolhida para crianças. A comemoração contou com a presença de representes de outras comunidades leigas, dentre as quais a Boa Semente, a Rainha da Paz e a Oasis da Paz. Antes de cortar a faixa, o bispo emérito de Quixadá, dom Adélio Tomasin, celebrou um culto no salão de reuniões.

Foi ele quem sensibilizou a benfeitora italiana a erguer a Cidadela ao lado do Santuário. À frente da Diocese, dom Adélio doou parte do terreno para construção do complexo de acolhimento e recuperação. Agora, desenvolvendo uma nova missão, a construção de um abrigo para idosos na periferia de Quixadá, o bispo emérito está muito feliz.

Ação de Deus

Dom Adélio disse se sentir realizado. Destacou a obra missionária da Novos Horizontes como um modelo da verdadeira ação de Deus. Sobre o novo abrigo, o "bispo operário", como se auto-reconhece, pretende inaugurá-lo no início de março. Não adiantou detalhes, mas assegurou ser mais uma obra de assistência aos "Filhos de Deus". Ele foi apenas o encarregado de erguer seus tijolos.

A Cidadela de Quixadá, erguida a partir de 2000, é formada atualmente pela Casa das Crianças Rainha do Sertão, agora composta por duas unidades, um Centro de Formação, um Centro de Espiritualidade, um Centro de Recuperação, conhecido como Casa Oasis, ainda o vilarejo das crianças e a Casa de Recuperação, com duas unidades de reinserção. O complexo tem 500 hectares. Acolhe 38 crianças e 28 homens.

Além da cidadela situada na periferia de Quixadá, a Novos Horizontes mantém um centro diurno de acolhida na área urbana da cidade, conhecido como Casa Perfeita Alegria, ainda um centro de atendimento e um projeto social, denominado "Coração". Mais de 400 famílias carentes são assistidas por ele. 

Elas recebem mensalmente cestas básicas de alimentos, doadas por padrinhos italianos e participam de atividades de socialização enquanto os filhos estão na escola. No Ceará, além da comunidade de Quixadá, a Associação Novos Horizontes mantém a Cidadela do Céu, no Condomínio Espiritual Uirapuru (CEU), em Fortaleza.

Outras 11 unidades assistenciais funcionam na Itália, e duas na Bósnia. No total, são 139 centros de acolhida, formação e orientação de crianças e jovens.

Segundo Sandra Taranto, o programa terapêutico de reabilitação subdivide-se em cinco fases de autoconhecimento: orientação; área de comportamento; autoconsciência; responsabilidade, com capacidade de decisão e reinserção, por meio de projetos sociais.

Esta missão surgiu em março de 1994, na Vila de Trigoria, em Roma, onde Chiara abriu a primeira comunidade de acolhida, recebendo jovens abandonados. Para receber o reconhecimento canônico, em nível pontifício, é preciso viver a serviço da Igreja e em obediência a ela. 

O primeiro passo é o reconhecimento jurídico com a criação do estatuto da comunidade leiga, nas normas eclesiais, e sua submissão aos princípios da Igreja Católica. Daí ocorre o reconhecimento em nível diocesano, o qual passa por um período de experiência, o reconhecimento ad experimentum.

Após essa fase, a comunidade é aprovada em caráter definitivo, na Diocese. Com a expansão dos trabalhos, em nível internacional, a comunidade inicia o processo junto ao Pontifício Conselho para os Leigos, sediado no Vaticano, órgão encarregado da missão e vida dos leigos na Igreja. O título é recebido em evento, das mãos do Papa.

Conquista

"Receber este título é a maior conquista perante Deus no amor ao próximo"

Sandra Taranto
Coordenadora geral da Novos Horizontes no Brasil

"Existem muitas maneiras de Deus nos presentear pela nossa dedicação ao irmão"

Iane Silva de Nápole
Coordenadora de Projetos da Novos Horizontes

"Ir a Roma e conhecer o Papa é uma conquista maior que se recuperar do vício"

Cícero Pereira da Silva
Ex-dependente encarregado da manutenção

MAIS INFORMAÇÕES 

Associação Novos Horizontes, Estrada de Juatama / Serra do Urucu: (88) 9968.1742
novoshorizontesrainha@gmail.com

ALEX PIMENTEL
COLABORADOR

2 comentários:

as mais disse...

querido amigo a respeito da reportagem que a comunidade novos horizonte vai ser reconhecida pelo vaticano,alem da canção nova e o shalon,a fazenda da esperança que trabalha com depedentes quimicos tambem e reconhecida!e chama-se familia da esperança!

as mais disse...

querido amigo a respeito da reportagem que a comunidade novos horizonte vai ser reconhecida pelo vaticano,alem da canção nova e o shalon,a fazenda da esperança que trabalha com depedentes quimicos tambem e reconhecida!e chama-se familia da esperança!

::: NOSSOS VÍDEOS

Loading...