Compre Agora

terça-feira, 2 de março de 2010

Robinho comanda a vitória do Brasil sobre a Irlanda em Londres: 2 a 0

Amistoso foi o último da seleção antes da convocação final para a Copa



Uma vitória com a estrela de Robinho. O Brasil não deu show mas, com participação decisiva do atacante do Santos, jogou o suficiente para vencer a Irlanda por 2 a 0, nesta terça-feira, no Emirates Stadium, na gelada Londres. Foi o último amistoso da seleção antes da convocação para a Copa do Mundo da África do Sul. A lista sai em maio, no Rio de Janeiro. 

De bem com a vida após a volta à Vila Belmiro, Robinho foi o principal jogador da seleção brasileira. No primeiro tempo, ele fez, impedido, a jogada que resultou no gol contra de Keith Andrews. Já no segundo gol, Robinho tabelou com Grafite e deu um toque de quem sabe no canto esquerdo do goleiro Given, seu ex-companheiro no Manchester City. 

O amistoso fez parte de uma campanha liderada pelo vocalista do U2, Bono Vox, para o combate da Aids, da tuberculose e da malária no continente africano. Os jogadores entraram em campo usando casacos e cadarços vermelhos nas chuteiras como uma forma de divulgar a ação, que é conhecida mundialmente como RED (vermelho, em inglês). Todo o lucro proveniente da venda dos cadarços é doado. Além disso, a bola e as redes dos gols também eram vermelhas. O duelo também marcou a estreia do uniforme que a seleção vai vestir na Copa do Mundo de 2010.


Em três anos e meio de trabalho sob o comando de Dunga, a seleção brasileira atuou 53 vezes, com 37 vitórias, 11 empates e cinco derrotas. O grupo conquistou a Copa América de 2007 e a Copa das Confederações em 2009. O treinador testou 70 jogadores e agora vai escolher os 23 que vão disputar a Copa do Mundo na África do Sul. 


Jogada de Robinho dá a vantagem ao Brasil

O primeiro tempo foi muito disputado, com os irlandeses fazendo uma forte marcação. O Brasil demorou a se achar e foi pressionado no início do jogo. Sem nada a perder, a Irlanda buscava o ataque, principalmente com os cruzamentos para a área. 

Lucio e Juan tinham dificuldades para ganhar as bolas no alto dos fortes irlandeses. Além disso, a seleção também perdia muito os rebotes. O Brasil só apareceu com perigo aos 12 minutos. Kaká recebeu na intermediária e chutou com força. Mas a bola subiu muito e foi por cima do travessão do goleiro Shay Given. 

Aos 16 minutos, Julio César salvou o Brasil de levar o primeiro gol. Após cruzamento para a área, o atacante Doyle cabeceou e o goleiro se esticou todo para espalmar a bola. A torcida tentava empurrar a seleção e esquentar a partida no frio da noite londrina - 40.082 pessoas compareceram ao estádio do Arsenal . Durante o primeiro tempo, o termômetro marcava cinco graus. 

- Vai, Adriano! - gritava um torcedor perto do gramado que usava um chapéu verde e amarelo. 

Aos 20 minutos, em um contra-ataque, o Brasil novamente teve uma boa chance. Robinho partiu em velocidade e tocou para Adriano. O Imperador entrou na área, mas foi travado na hora do chute. A bola, então, voltou para Robinho que colocou no cantinho. Mas o toque, que tinha endereço certo, bateu nas costas de Kilbane, para azar dos brasileiros. 

Pouco depois, Adriano - que teve atuação discreta - cobrou falta da entrada da área, e Given espalmou para escanteio. O gol brasileiro saiu aos 43 minutos. Kaká partiu em velocidade e tocou para Robinho, que estava impedido. O atacante foi até a linha de fundo pela direita e cruzou rasteiro. Andrews chegou de carrinho, desviou para o gol e marcou contra. Brasil 1 a 0.

Na comemoração, Robinho deu um soco no ar. Enquanto isso, Kaká discutia com McShane no meio-campo. O brasileiro reclamava de uma entrada desleal do irlandês. E o primeiro tempo terminava com a seleção em vantagem. 


Seleção melhora e Robinho faz um golaço

O Brasil voltou sem alterações para o segundo tempo. E a partida continuou nervosa. Logo aos sete minutos, Kaká novamente se estranhou com um irlandês, desta vez Andrews. O árbitro inglês Mike Dean limitou-se a conversar com os dois jogadores.

A seleção, pelo menos, melhorou na partida. No lance mais bonito do jogo, Robinho pedalou em cima de Kelly dentro da área e rolou para Michel Bastos. O lateral apareceu chutando de primeira, e a bola passou muito perto do travessão.

Dunga começou a fazer alterações aos 19 minutos. Daniel Alves e Grafite, o 70º jogador testado pelo treinador desde que assumiu após a Copa de 2006, entraram nos lugares de Ramires e Adriano.

E Daniel Alves, que entrou para jogar mais uma vez no meio-campo, quase marcou o segundo gol brasileiro logo em seu primeiro lance. Em uma bobeira da defesa irlandesa, o jogador roubou a bola e entrou livre na área. Mas após driblar o goleiro, perdeu o equilíbrio e chutou para fora, de pé esquerdo, que não é o bom. Em seguida, em jogada muito parecida, Robinho mandou para o gol -  mas, desta vez, o árbitro acertou e anulou o que seria o segundo da seleção.

Aos 25, Kaká arrancou pela direita e rolou para Robinho. Livre na marca do pênalti, o atacante pegou mal na bola e chutou por cima do travessão, perdendo um gol incrível.

Mas quem tem estrela... Nilmar foi chamado por Dunga e se posicionou na lateral do gramado. Ficou ali mais de três minutos esperando a bola sair para entrar em campo. A placa já havia mostrado o escolhido para deixar a partida: número 11, o de Robinho. Só que nada de a partida parar.

E aí a seleção brasileira começou a trocar passes. Robinho tabelou com Grafite, que devolveu de calcanhar. Num toque de extrema categoria, o Rei das Pedaladas pôs a bola no canto esquerdo, sem chances para Given. Um golaço.
O 22º do atacante com a camisa da seleção. 

Nilmar entrou em campo antes de o jogo reiniciar. E atuou por 14 minutos. Neste período, a torcida brasileira aproveitou para gritar olé, feliz da vida. O próximo encontro agora é na África do Sul, rumo ao hexa!


Ficha técnica: 
BRASIL 2 x 0 IRLANDA
Julio César, Maicon (Carlos Eduardo), Lúcio (Luisão), Juan, Michel Bastos; Gilberto Silva, Felipe Melo, Ramires (Daniel Alves) e Kaká; Robinho (Nilmar) e Adriano (Grafite).Shay Given; Stephen Kelly, McShane, Sean Ledger e Kilbane; Liam Lawrence (McCarthy), Glenn Whelan (Gibson), Keith Andrews e Damien Duff (McGeady); Robbie Keane e Kevin Doyle.
Técnico: Dunga.Técnico: Giovanni Trapattoni.
Gols: Keith Andrews (contra) aos 43 minutos do primeiro tempo; Robinho aos 31 minutos do segundo tempo.
Cartões amarelos: -
Estádio: Emirates Stadium, em Londres (ING).
Data: 02/03/2010.
Árbitro: Mike Dean (ING).
Auxiliares: Steve Child (ING) e Simon Beck (ING).
G1 da Globo

Nenhum comentário:

::: NOSSOS VÍDEOS

Loading...