Compre Agora

terça-feira, 16 de março de 2010

Protesto: População receberá governador no ritmo do baldaço

Por Jackson Perigoso

O problema da escassez de água do Interior não se concentra somente na zona rural. Na maior cidade do Sertão Central, Quixadá, a falta de água está deixando a população revoltada. Apesar do esforço da Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) em procurar abastecer os bairros da cidade, realizando manobras de abastecimento sistemático, na maioria deles continua faltando água. Além de desagradável, a situação é preocupante. Quem sofre mais são os idosos e as crianças.

Por conta da falta de água nas torneiras de suas casas, os consumidores estão se mobilizando. Pretendem realizar uma manifestação maciça na visita do governador Cid Gomes à cidade. Conforme divulgação nas emissoras de rádio, Cid estará em Quixadá na próxima sexta-feira, dia de São José.

Na oportunidade, ele deverá anunciar a construção de várias obras, dentre as quais uma Policlínica. Também assinará ordem de serviço da adutora, ligando o Açude Pedras Brancas à cidade. Mesmo assim, os moradores já começaram a ensaiar o "baldaço", como definem o protesto a ser realizado quando o governador chegar. "Essa promessa vem se arrastando há mais de 20 anos. A gente não suporta mais. Entra governo, sai governo, a promessa é a mesma", reclama a comerciaria Dulcineide de Almeida. Ela e os filhos estão há mais de um mês sem água. Tomam banho nas casas de parentes ou de amigos. "Para lavar os pratos e as panelas é um sacrifício. Melhor comer em marmita descartável, de alumínio. Lavar roupa, nem pensar", reclama.

Para piorar a situação, a chuva não chega. O calor na região está chegando aos 40 graus. A sensação térmica é sentida inclusive noite adentro. Por conta disso, o banho se torna ainda mais necessário. "Os carroceiros aproveitam a situação para cobrar mais caro pela lata de água. Aumentou de R$ 0,60 para R$ 1. Desse jeito não tem quem aguente. É um caso de calamidade pública", reclama o aposentado Augusto do Anjos Martins, de Campo Velho.

O gerente regional da Cagece, Cristhian Quezado, disse que a estrutura da velha adutora, cerca de 23km, está comprometida. Os reparos demoram até 12 horas, prejudicando o abastecimento. Não descartou a possibilidade da água ser desviada de forma clandestina. Enquanto a nova rede não é construída, o problema continua.

Reserva

73% DA CAPACIDADE total dos açudes no Estado é a reserva atual, segundo levantamento da Cogerh. O volume hídrico equivale a 13,188 bilhões de metros cúbicos de água

Mais Informações
10ª Região Militar - Operação Pipa: (85) 3255.1646 / Secretaria Nacional de Defesa Civil: (61) 3414.5515
Cogerh: (85) 3218.7024

Revista Central de Quixadá com informações do Diário do Nordeste. Manchete adaptada

Nenhum comentário:

::: NOSSOS VÍDEOS

Loading...