Compre Agora

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Compra de protetor solar causa polêmica em Quixadá

Agentes de Saúde Andréia Lima e Francisca Evangelista
Foto Alex Pimentel DN


De acordo com licitação, foram gastos quase R$ 100 mil com o produto, mas há agentes que não o recebem
 
Uma licitação da Prefeitura de Quixadá datada do início do ano está dividindo opiniões na cidade. Na proposta de compra do material médico-hospitalar e medicamentos para o Hospital Municipal Dr. Eudásio Barroso e Rede Básica de Saúde, através de pregão eletrônico, quase R$ 100 mil são destinados para compra de protetor solar. O valor exato das compras, divididas em quatro lotes, é de R$ 84.169,20. O produto deve ser obtido para distribuição com os agentes do Programa Saúde da Família (PSF). Como realizam atividades externas, percorrendo as casas, precisam de proteção contra o sol.

Todavia, passados 10 meses da proposta de licitação, a ser feita através de pregão eletrônico, o portal Monólitos Post resolveu denunciar o procedimento na região. Os levantamentos foram feitos por Wal Alencar, um dos responsáveis pela postagem de notícias no site. Segundo ele, o vereador Pedro Baquit, da bancada de oposição, foi quem pediu para checar a proposta de compra, através do Portal da Transparência. "Além de denunciar que alguns agentes não estão recebendo o protetor solar, ele considera a compra um desperdício", completa Alencar.

O vereador confirma o seu posicionamento acerca do gasto, o qual define como exorbitante. Ele pretende requerer hoje, na Câmara Municipal de Quixadá, esclarecimentos acerca da transação e do destino da loção utilizada para proteger a pele. Entretanto, Baquit acrescenta não ter partido dele a denúncia. Viu no portal e resolveu procurar os agentes de saúde para saber se o protetor solar é realmente importante no dia a dia dos profissionais.

"Falei apenas com dois ou três agentes. Eles não querem se identificar com receio de represálias, mas me disseram que não estão recebendo o protetor solar. Após conversar com mais agentes, firmarei minha opinião", completa.

A secretária de Saúde do Município, Valéria Nepomuceno, considera estranha a postura do portal. Segundo ela, os protetores solares atualmente distribuídos foram doados. Os principais beneficiados são os agentes de saúde e pacientes com lúpus - doença crônica, autoimune, que causa inflamações em várias partes do corpo, especialmente na pele. Ela lembra que houve até uma solenidade comemorando a conquista. Apenas R$ 1.227,00 foram desembolsados pelo Município, e mesmo assim para quem tem lúpus.

Embora a denúncia do portal seja alusiva a uma adjudição - termo técnico definido para a proposta de compra - uma lei municipal sancionada em dezembro de 2007 torna obrigatório o fornecimento de filtro solar para os servidores públicos. A iniciativa partiu de outro vereador, Kleber Júnior. Ele é irmão da secretária de Saúde e do atual prefeito de Quixadá, Rômulo Carneiro.

De acordo com o médico Ednaldo Rolim, especializado em dermatologia, a utilização do filtro solar é imprescindível não somente na praia, mas também no Interior do Estado. Em Quixadá não é diferente. Os raios UVA e UVB causam os mesmos efeitos em qualquer lugar. O efeito estufa agrava ainda mais a situação. Por esses motivos ele está recomendando para seus pacientes a utilização de loções com fator de proteção 100 para quem tem pele clara e no mínimo 30 para os de pele escura.

As agentes de saúde Andréa Lima e Francisca Evangelista há mais de um ano recebem o protetor solar. Passam a loção duas vezes por dia, quando saem para as visitas. Elas criticam quem está questionando a aquisição dos bloqueadores solares para os 143 colegas.

Também contestam que alguns não estejam recebendo o protetor. "Temos reuniões mensais, abertas ao público. Quem está fazendo isso é insensível ou feito de borracha", desabafa Francisca.
Fique por dentro Raios da luz solarA radiação ultravioleta (UV) faz parte da luz solar que chega à Terra. Ao atingir nossa pele, os raios UV penetram profundamente e desencadeiam reações imediatas como as queimaduras solares, as fotoalergias e o bronzeamento. Provocam também reações tardias, devido ao efeito acumulativo da radiação durante a vida, causando o envelhecimento cutâneo e as alterações celulares que, através de mutações genéticas, predispõem ao câncer da pele. Essa radiação se divide em radiação UVA e UVB (os raios UVC não atingem a Terra).
MAIS INFORMAÇÕES 
Monólitos Post
http://
www.monolitospost.com
Secretaria de Saúde de Quixadá

(88) 3412.3245

Com informações do Diário do Nordeste

Nenhum comentário:

::: NOSSOS VÍDEOS

Loading...