Compre Agora

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

Em ritmo de festa Prefeito do Choró silencia oposição

Regional
Por Jackson Perigoso e Fábio de Oliveira
Choro_veradores_prefeito1Choro_veradores_prefeito2Choro_veradores_prefeito5Choro_veradores_prefeito6Choro_veradores_prefeito7Choro_veradores_prefeito3Choro_veradores_prefeito8Choro_veradores_prefeito9carros_municipio_choro2A Câmara Municipal do município de Choró, Sertão Central, deu inicio aos trabalhos legislativos em clima de muita tensão, vereadores que fazem oposição ao prefeito José Antonio Rodrigues Mendes, popularmente conhecido como Dé, anunciaram para a imprensa que aconteceria uma grande mobilização popular e um possível pedido de cassação do atual prefeito por desvios de recursos públicos, afirmavam que tinham provas suficientes sobre o desvio de conduta do prefeito.
A reportagem da Revista Central esteve presente ao evento e constatou que os planos da oposição foram por água abaixo, pois não houve manifestação contraria ao chefe do poder executivo e a oposição não levou nenhuma prova que fosse suficiente para cassar o prefeito. Sem provas e sem a manifestação prometida, a base de oposição saiu enfraquecida da seção, segundo os vereadores da situação, os motivos foram ocasionados pelo discurso do prefeito que pediu aos quatro vereadores provas reais, mas a oposição não as apresentou. “Estou à disposição dos senhores, podem quebrar o meu sigilo bancário e da minha família, sou um homem de família humildade e que preza pela honestidade, provem que eu desviei dinheiro público” disse Dé, em discurso emocionado no plenário.
Após as palavras do prefeito, um entrave sobre as questões regimentais da casa legislativa foi questionada por alguns vereadores, manifestantes e curiosos espremiam-se no plenário lotado onde se ouvia aplausos e gritos de manifestantes prós e contra o prefeito, o presidente da câmara Eucimar Ribeiro, resolveu de maneira sensata encerrar a seção por motivos de acirramento dos ânimos exaltados de simpatizante e populares desencadeassem para uma situação de agressões mutuas, o que a oposição ao prefeito classificou de armação.
O vereador Marcos Jucá disse a reportagem da Revista Central que tem provas de que houve desvios de dinheiro público, “temos provas de desvios de dinheiro da prefeitura, vamos provar na próxima seção”, o legislador não apresentou as provas à reportagem. Segundo o vereador Marcos Jucá a saúde do município está em situação caótica, ele acusou também os servidores de deixarem de exercer as suas funções para participarem da seção, garante que foi a mando o prefeito. Na mesma linha, a vereadora Gardênia Gimenez disse que os funcionários foram comprados para apoiar o discurso do prefeito, ela classificou como baixaria os aplausos e manifestações de apoio ao prefeito Dé no momento em que discursava no plenário da Câmara de Vereadores.
A equipe de reportagem da Revista Central foi recebida pelo prefeito José Antonio Rodrigues Mendes, disse que a manifestação de apoio dos professores a sua gestão foi devido à melhora dos salários que eles vêm recebendo em comparação com a gestão anterior, “antes eles recebiam apenas uma salário mínimo, hoje eles recebem R$ 1200,00 é por isso que a oposição tem raiva, porque tratamos os professores com respeito, fizemos recentemente o rateio R$ 140 mil com os professores do dinheiro da educação que não pode ficar em caixa de um ano para outro, esse rateio não foi feito na administração anterior nos quatro anos”. O prefeito disse não temer as denuncias e classificou como desespero da oposição que está vendo o crescimento do município de Choró, “Sou um cidadão simples, pobre, ex-pescador, que foi eleito pelo povo e estou há um ano e um mês trabalhando, pagando as contas que eles (oposição) deixaram”. O prefeito afirmou que recebeu o município falido.
Sobre a situação da saúde, o prefeito disse que o hospital tem seus problemas, mas afirma que não é apenas no Choró e que a resposta para melhorar os serviços de saúde no município foi à compra de novos veículos para a secretaria de saúde, “às vezes faltam médicos porque não é fácil contratar médicos no interior, e quando aconteceu das reclamações de algumas pessoas pela falta do médico no hospital, foi por culpa do próprio médico que não compareceu ao plantão e não culpa do prefeito, estamos trabalhando, só hoje já entregamos cinco carros para a saúde, inclusive uma ambulância moderna”. Ele disse que o hospital estará recebendo em breve uma aparelho de raio-X de última geração. Salientou também que alguns medicamentos faltaram no hospital por conta das licitações que serão realizados por pregões eletrônicos para economia das despesas do município.
O prefeito Dé declarou ainda que jamais trairia o povo do Choró, “sinceramente estou tranquilo, o que eu tenho de concreto é a minha honestidade, eu sei da minha vida, a minha família me conhece sabe da minha vida, jamais vou trair minha família e eu diria jamais trairia o povo do Choró no sentido de usar o dinheiro do município de forma inadequada, eu até digo que a gente poderia ter avançado mais no primeiro ano, mas com as dificuldades que temos os problemas financeiros advindos da última gestão, dificultou nosso trabalho, acreditamos que esse ano será um ano de grandes realizações para o Choró”
Enquanto os vereadores da oposição planejavam seus discursos para uma emissora de rádio local que segundo os governantes fazem oposição diariamente, o prefeito Antonio Mendes realizava uma carreata festiva pelas ruas da cidade mostrando ao povo os novos carros adquiridos para a cidade, são duas ambulâncias todas equipadas com serviços de emergência, um carro tipo caminhonete modelo S10, outros dois carros modelos Fiat Uno, um para secretaria de saúde e outro para a secretaria da ação social, há ainda duas motos modelo Bros compradas que serão entregues ao município.
O desfile dos carros novos entregues a população do Choró, percorreu as principais ruas da cidade, outros carros e muitas motos se somavam transformando-se em uma grande carreata onde o prefeito e autoridades do município desfilaram em carro aberto desmontando por terra o quadro dramático desenhado pela oposição, o prefeito foi abraçado e cumprimentado pela população e mesmo algumas pessoas críticas a administração, salientavam que o prefeito Dé merece permanecer no cargo por entender que o primeiro ano lhe faltou à experiência necessária e acreditavam em mudanças a nova postura do prefeito.
Por Jackson Perigoso e Fabio de Oliveira

Nenhum comentário:

::: NOSSOS VÍDEOS

Loading...