Compre Agora

terça-feira, 14 de setembro de 2010

PODER PÚBLICO E ADMINISTRAÇÃO EFICIENTE, UM PRINCIPIO CONSTITUCIONAL DESRESPEITADO

Opinião e Ação
Por Getulio Freitas

No momento não me atrevo a descrever sobre os princípios da administração publica, pois não é no momento minha área de estudo, mas certamente utilizando-se dos princípios da administração geral, baseando-se no principio do dever da eficiência que deve ter o poder publico, no senso comum, munido do poder de cidadão, sou mais que apto para discorrer sobre certas agruras que são cometidas dentro de nossas prefeituras.

O douto jurista Michel Pinheiro, em seu artigo: “O princípio da eficiência na administração pública e o cidadão”, atribui os seguintes fatores para que não tenhamos uma administração pública reta com a seguinte máxima: “A desprofissionalização do pessoal, a desorganização e a má distribuição interna, são os fatores impeditivos da qualidade e produtividade do serviço público.” E ainda diz mais: “Metade do funcionalismo está concentrada nas atividades-meio e existem mais de 2.000 cargos públicos com denominações imprecisas, remunerações díspares e atribuições mal definidas.”. Essa é uma das raízes do problema, se pudéssemos analisar de perto as prefeituras tal realidade será fortemente vista, e vou mais profundo; na verdade isso é conseqüência da forma como são escolhidos muitos funcionários, de qual objetivo e finalidade com que esta se contratando um funcionário. Está se contratando para cumprir compromissos eleitoreiros ou baseado na carência de profissional para atuar na área pretendida?

Na tentativa de cumprir, digo pagar, os votos que foram conseguidos sob promessas de emprego na prefeitura, que dependendo de que seja o salário é algo a ser negociado, coloca-se no quadro de funcionários públicos verdadeiros “doidivanas” com o interesse apenas de extorquir a máquina pública. Mas em tese sabemos que a administração deve ser como cita Michel em seu artigo: “(...) que não bastará apenas atuar dentro da legalidade, mas ter-se-á, ainda, necessariamente, que visar-se resultados positivos para o Serviço Público e o atendimento satisfatório, tempestivo e eficaz das necessidades coletivas.” Ponha as mãos na cabeça, meu caro leitor, e pasme, pois aqui neste sitio (Ibaretama), é tudo ao contrário. Fazer o bem sem olhar a quem, não é um ditado popular muito praticado neste município e aquele administrador que entrar e praticá-lo, será sucessivamente reeleito, mas falta muito saber em nossos administradores públicos, que podem ter conhecimento, mas não o saber.

Recebi algumas críticas em meu ultimo artigo e elogios, desde já, agradeço a todos e peço que cada dia me critique mais e elogiem menos, pois as críticas me fazem pensar, enquanto elogios às vezes nos anestesiam e nos deixam bobos... mas sinceramente sou grato! Aos que almejavam saber como administrar, pois me pediram nos comentários que eu dissesse o que fazer, eu já disse o problema, o que fazer?... Bem, já não sou o prefeito e nem tenho o poder para mudar o quadro acima.

Ibaretamenses, acordem! E para a torcida organizada das administrações passadas e atuais, atente-se para algo importante e se responda. Quando seu filho sair da escola ou da faculdade, ele pode conseguir algum emprego digno aqui em Ibaretama sem precisar usar o “tapa boca” diante dos governantes? Rompam o cordão umbilical da prefeitura e se dêem as mãos para construir a Ibaretama que queremos. Que sonhamos, respeitada e dita correta em todo lugar. Esse não é nosso sonho?

Há! E estou esperando os comentários...!

Getúlio Freitas
Colunista do Ibaretamanet.com

Getulio Freitas é estudante de administração pela Universidade Federal do Ceará - UFC.

Um comentário:

Anônimo disse...

Muito bem, estou com você.

Sabe, ate hoje me recordo de um pequeno comentário feito, em Piranji, no ano de 2008, tal dizia assim: " NÃO COMETEREI OS MESMOS ERROS, QUE AMBAS AS GESTÕES PASSADAS COMETERAM" E DE FATO NÃO COMETEU MESMO, FEZ PIOR.

::: NOSSOS VÍDEOS

Loading...