Compre Agora

terça-feira, 13 de abril de 2010

Em visita a Fortaleza, Dilma tenta desfazer mal-estar com Ciro Gomes

A pré-candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, procurou desfazer nesta terça-feira (13) qualquer mal-estar com um de seus possíveis concorrentes ao Planalto, Ciro Gomes (PSB), durante sua visita a Fortaleza.

O constrangimento por comparecer à terra de Ciro sem ter conversado com ele foi amplamente questionado pela imprensa local, que perguntou inclusive se não seria uma "afronta" ao colega. "Me considero uma amiga de Ciro Gomes, e não apenas nos momentos de sorrisos", disse a pré-candidata. Dilma e Ciro foram colegas ao longo do primeiro mandato de Lula, quando ambos ocupavam ministérios: Ciro na Integração Nacional, e Dilma na Casa Civil.

Segundo Dilma, Ciro não foi convidado para participar de sua visita à capital cearense por respeito. "Eu não me incluo entre as pessoas que o estejam pressionando [a abandonar sua pré-candidatura ao Planalto]. Ele tem todas as credenciais para pleitear o cargo que quiser, e eu sempre vou respeitar isso", afirmou. "Vocês jamais verão de mim um ato de desrespeito em relação a Ciro Gomes."

A petista também aproveitou a passagem por Fortaleza para enfatizar as diferenças entre o projeto que representa, ao lado de Lula, e o do PSDB de José Serra, num sinal claro do discurso que deverá defender durante a campanha eleitoral.

Em uma entrevista à rádio Verdes Mares AM, Dilma disse repetidas vezes que vai continuar fazendo mais pelo país, como o governo Lula já fez, e desafiou a oposição – sem citar Serra nem o PSDB. "Nós temos posições diferentes sim. Somos contra as privatizações. E só não desfizemos tudo nesses sete anos de governo porque nos comprometemos a não romper contratos. Nunca faríamos isso. Mas os processos de privatização foram muito danosos, em vários países do mundo", afirmou. "Agora, a situação mudou radicalmente, e para melhor. E eu ajudei a construir esse alicerce, tenho orgulho disso porque isso me distingue. Se alguém não tem orgulho do governo do qual fez parte, não posso fazer nada."

Outro assunto abordado durante sua passagem pelo Ceará foi sua fala a respeito do exílio no período militar, que gerou polêmica. Dilma rebateu as críticas que recebeu da oposição. "Essa foi uma tentativa escancarada e falsa de manipular uma fala, numa tentativa de a oposição encobrir que não tem proposta, enquanto nós temos", afirmou.

Segundo Dilma, quando disse nunca ter fugido da luta, ela se referiu a seus 62 anos de vida, não ao fato de ter ficado no Brasil como clandestina durante o regime militar, ao contrário de Serra, que se exilou no Chile. "Podem ver, em nenhum momento eu me referi ao exílio. Foi como dizer: não tentem me atemorizar, porque não podem me atemorizar. Eu não fujo da raia", afirmou.

Homenagem
Dilma chegou a Fortaleza na noite de ontem para receber o título de cidadã honorária da capital cearense, outorgado pela Câmara Municipal. A cerimônia de entrega da homenagem foi recheada de petistas, mas a ausência do governador Cid Gomes (PSB), aliado nacional do presidente Lula, chamou a atenção. Cid mandou um representante, o vice-governador Francisco Pinheiro (PT), sem maiores explicações.

Irmão do presidenciável Ciro Gomes (PSB), Cid busca construir no Ceará uma ampla aliança para apoiá-lo à reeleição, incluindo o PT e o PSDB, mas tem encontrado resistência, sobretudo entre petistas do Diretório Nacional, que condicionam o apoio à desistência de Ciro de disputar o Planalto e garantir, assim, um palanque único para Dilma. Uma visita do ex-ministro José Dirceu a Cid, em março, para tratar do assunto, chegou a ser tachada por Ciro de "chantagem".

Pela manhã, longe da imprensa, Dilma fez uma rápida visita a Cid na residência oficial, acompanhada da prefeita Luizianne Lins (PT) e do presidente nacional do PT, José Eduardo Dutra. Segundo a pré-candidata petista, eles não falaram de política – apenas de obras e de piadas, afirmou Dilma.

A homenagem a Dilma foi aprovada no final do ano passado, após uma longa sequência de tentativas. O boicote sinalizava um descontentamento dos aliados com a distribuição de cargos do segundo escalão pela prefeitura. Outra pré-candidata a presidente que deve receber o título de cidadania é Marina Silva (PV).

Visita conturbada
Os preparativos para a visita de Dilma a Fortaleza foram conturbados. Confirmada na semana passada, a agenda incluía uma passagem por Juazeiro do Norte, terra do padre Cícero, no sul do Estado, cidade administrada por um petista, Manoel Santana.

Por insatisfação de correntes do PT, que reclamavam atenção também a seus rincões, e por haver denúncias de irregularidades recentes envolvendo o prefeito de Juazeiro do Norte, a viagem de Dilma chegou a ser até cancelada no último sábado. Foi necessária a intervenção de Luizianne, que também preside o PT do Ceará, para garantir a visita, sobretudo para a entrega do título de cidadania bem na véspera do aniversário de Fortaleza. A cidade completa hoje 284 anos. A viagem acabou excluindo Juazeiro.

Fonte: Blog do Crato com informações do UOL Notícias

Nenhum comentário:

::: NOSSOS VÍDEOS

Loading...