Compre Agora

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Missionário italiano assassinado na Amazônia

Internacional
Por Pe. Renato


O sacerdote italiano Ruggero Ruvoletto foi assassinado no último sábado de manhã, em sua paróquia de Santa Evelina, na periferia de Manaus.

Após as primeiras reconstruções, a polícia falou de uma possível tentativa de roubo, mas a hipótese parece pouco convincente, porque na igreja roubaram apenas cinquenta reais, enquanto não levaram outro dinheiro da casa do sacerdote. Algumas testemunhas afirmam ter visto dois “desconhecidos” fugirem com alguns objetos pertencentes ao religioso.

Segundo recolhe a agência missionária Misna, por enquanto a polícia arrestou três pessoas suspeitas de envolvimento no assassinato. A identidade dos três ainda não foi revelada.

Ruggero Ruvoletto havia nascido no dia 23 de março de 1957, em Galta di Vigonovo (Veneza), na diocese de Pádua, e foi ordenado sacerdote em 1982, pelo bispo Filippo Franceschi, de quem havia sido secretário durante todo o seu episcopado (1982-1988).
Ele tinha estudado eclesiologia em Roma e depois voltou à diocese em agosto de 1994, ocupando-se durante quase um ano da pastoral social e do trabalho, como delegado episcopal. Foi nomeado diretor do Centro Missionário diocesano de 1995 a 2003.
Em julho de 2003, partiu para o Brasil, como missionário fidei domum, à diocese de Itaguaí, em Mangaratiba, junto com o Pe. Orazio Zecchin. No ano seguinte, reuniu-se com Francesco Biasin, então consagrado bispo da diocese de Pesqueira, para participar de um projeto de presença missionária na periferia de Manaus, querido pelas dioceses locais.

A periferia de Manaus, afirma a nota da diocese de Pádua, é “um lugar de fronteira entre a cidade e a selva, onde a criminalidade é particularmente agressiva e ultimamente se registraram vários assaltos. O próprio Ruggero havia participado recentemente de uma manifestação para pedir maior segurança”.

Após a notícia do assassinato, centenas de habitantes do subúrbio de Manaus se reuniram na paróquia para prestar homenagem ao missionário italiano, que será sepultado em seu país natal.

Neste domingo pela manhã, o bispo de Pádua, Dom Antonio Mattiazzo, recordou que o falecido “se consumiu muitíssimo pela missão. Era homem e sacerdote de ânimo bom, sereno, sempre sorridente e de uma disponibilidade total”.




Condolências do papa pela morte de missionário no Brasil

Fontes da Igreja acreditam que sua morte devido a drogas e prostituição

City 'do Vaticano, terça-feira, setembro 22, 2009 (ZENIT.org) .- Bento XVI expressou profundo pesar pela morte trágica do padre Roger Ruvoletto, o italiano missionário Fidei Donum da Diocese de Pádua, morto sábado na Amazônia. A tristeza do papa se exprime em telegrama assinado pelo cardeal secretário de Estado, Tarcisio Bertone, ao Arcebispo de Manaus, Luiz Soares Vieira.

Na mensagem, o Papa condenou o "ato covarde e cruel contra um servo pacífico do Evangelho" e transmite sua proximidade espiritual na oração.

O Padre Ruvoletto foi morto ontem de manhã na paróquia de St. Evelina na periferia de Manaus, no norte do Brasil.

O serviço de informação da religião SIR, da Conferência Episcopal Italiana, assinalou na terça-feira que "a idéia faz o seu caminho, denunciado por um missionário italiano no Brasil, que a morte do padre Ruvoletto foi uma execução de uma série de atos de intimidação contra a Igreja na região de Manaus, desde que denunciou atividades criminosas como o tráfico de drogas e o tráfico de seres humanos ".

Desde 2006 há documentos e entrevistas, incluindo um publicado na terça-feira pela diocese de Pádua (www.diocesipadova.it), mostrando o relatório do padre que "a violência é generalizada, o alcoolismo, drogas e a prostituição são males sociais".
 
Matéria Autorizada: Revista Central de Quixadá

Nenhum comentário:

::: NOSSOS VÍDEOS

Loading...