Compre Agora

sábado, 24 de outubro de 2009

Católicos em defesa de Dom Adélio


Uma semana após o afastamento do diretor e de agentes do Departamento Municipal de Trânsito (DMT), mais uma polêmica ganha as ruas de Quixadá. Desta vez as declarações de um membro da Ordem Francisca Secular a uma emissora de rádio da cidade causou surpresa e protestos. O religioso Luciano da Silva Júnior anunciou que o chanceler da Faculdade Católica Rainha do Sertão, o bispo emérito dom Adélio Tomasin, estaria deixando o cargo e partindo para a Itália até o fim do ano. Muitos ouvintes atribuíram a manobra ao atual bispo, dom Ângelo Pignoli.

Solidários a dom Adélio, líderes de comunidades religiosas e de associações resolveram promover um abaixoassinado e planejam carreata. O protesto está sendo programado para a tarde de hoje (dia 24). A concentração deve ocorrer no Posto Gersário, na entrada da cidade. A ideia é encerrar a carreata com buzinaço na porta da residência do bispo, no Centro.

Luciano Júnior confirma a notícia transmitida no Jornal Liderança, no programa apresentado pelo radialista Herley Nunes. Ele disse ter visitado dom Adélio, como faz habitualmente, em busca de conselhos espirituais. "Ao pedir um favor pessoal, o bispo emérito confessou estar angustiado. Com lágrimas nos olhos, ele disse que não poderia me atender e que talvez não estivesse mais à frente da Faculdade Católica de Quixadá a partir de 2010. Com receio dele ir embora, resolvi levar o problema ao conhecimento de todos. Ele está sendo pressionado por dom Ângelo", afirma.

Porém, para a reportagem, o bispo emérito desmentiu a divulgação feita pelo franciscano. Dom Adélio afirmou não haver qualquer motivo para entregar a administração da Faculdade, muito menos para deixar Quixadá. Também não recebeu nenhuma solicitação nesse sentido por parte de dom Ângelo. "Nossa faculdade está muito bem financeiramente, administrativamente e organizacionalmente. Estou tranquilo quanto a qualquer decisão de nosso bispo", completou. Perguntado se tem alguma divergência com seu substituto diocesano, dom Adélio se manteve em silêncio.

Já dom Ângelo Pignoli disse não haver qualquer desavença com o bispo diocesano anterior. Ressaltou, entretanto, que na condição de representante maior da Igreja Católica no município e responsável pelos bens construídos e constituídos perante a Santa Sé, haver necessidade de conhecer a real situação das instituições mantidas pela Diocese. Ele enfatizou não ter nenhuma desconfiança de dom Adélio, mas que essa é a sua obrigação.

O bispo acrescentou ainda acreditar na administração partilhada como a melhor forma para evitar problemas administrativos futuros. Desde a sua posse, há dois anos e meio, dom Ângelo vem se reunindo com representantes e auxiliares em busca de melhorias do patrimônio católico. Por esse motivo tem buscado constante diálogo com dom Adélio. Cauteloso ao se pronunciar a respeito de seu antecessor, dom Ângelo disse tê-lo convidado para morar também na residência episcopal e realizarem juntos os trabalhos missionários cristãos na região.

Católico praticante, membro da comunidade religiosa da Paróquia de São Francisco de Assis, o médico César Oliveira manteve contato com os dois líderes da Igreja. Embora ambos tenham lhe informado não haver qualquer desentendimento, ele acredita que dom Adélio está sendo pressionado pelo atual bispo de Quixadá. "O bispo está ameaçando dom Adélio com uma auditoria na Faculdade Católica, pretende tomá-la dele. Ninguém gosta de ser pressionado. Dom Adélio não merece isso. Por esse motivo resolvi encampar o movimento em solidariedade a dom Adélio".

César Oliveira se refere ao abaixoassinado, até ontem com mais de quatro mil assinaturas. Pretende chegar a 15 mil assinaturas e em seguida encaminhar o documento à Anunciatura Apostólica, em Roma. Ele ainda afirmou que a lista percorre a cidade como forma de prestar solidariedade a dom Adélio, considerado um dos maiores benfeitores de Quixadá, mas em seu teor pede o afastamento de dom Ângelo Pignoli da Diocese. Diz ter se convencido da decisão após falar pessoalmente com o bispo, na tarde de anteontem. Informou sobre a articulação popular. "O bispo disse que não entregará o cargo", completou César Oliveira.

Cúria Diocesana de Quixadá
(88) 3412.0548

ALEX PIMENTEL
COLABORADOR


Matéria Autorizada: Revista Central de Quixadá

Nenhum comentário:

::: NOSSOS VÍDEOS

Loading...