Compre Agora

sexta-feira, 7 de abril de 2017

Pacotão Imoral: Prefeito Edson Moraes (PMDB) tenta criar secretarias e cargos comissionados para acomodar aliados

O Município de Ibaretama tem uma estrutura administrativa inchada e desnecessária, conta atualmente com 12 secretarias para uma população de pouco mais de 13 mil habitantes.

Emancipado em 1988, o município de Ibaretama, Sertão Central, tem uma estrutura administrativa robusta e que leva “pelo ralo” milhares de reais todo mês do contribuinte, desde que emancipado os gestores continuam a insistir com uma maquina maior que o suportado pelas finanças municipais.

O resultado de tanto desrespeito com o município traz Ibaretama para o rol dos mais endividados no Sertão Central, dividas se acumulam e tudo o que pensa os gestores é em acomodar “a base” gerando mais despesa para o contribuinte pagar.


A Atual gestão municipal decretou emergência financeira nas contas publicas em janeiro, segundo o site oficial do município, o ente federado acumulava dívidas da gestão passada, com INSS, ENEL (COELCE), PASEP, Contribuições sindicais e outros.

No dia 10 de janeiro completa 100 dias de gestão, e de acordo com levantamento feito pelo Ibaretamanet, os serviços prestados a população ainda é deficitário, falta transporte escolar em algumas localidades, merenda escolar, medicamentos, Unidades de Saúde ainda desativadas por falta de profissionais e uma infinidade de problemas gerenciais que formam uma demanda bastante significativa.

Alheio a tudo isso o prefeito, Edson Moraes (PMDB) enviou para a Câmara Municipal quatro Projetos de Lei, o Projeto de Lei de Nº 010/2017 onde modifica a estrutura administrativa municipal, criando a Secretaria de Cultura, Secretaria da Cidade e vários departamentos, entre eles o departamento de Segurança pública e Cidadania dentre outros.
O Artigo 56, da Lei Orgânica Municipal, proíbe o prefeito de criar cargos ou despesas sem previsão orçamentária, sabendo disso, a Assessoria Jurídica criou um caminho, enviou o Projeto de Lei 009/2017 que pede uma suplementação no Orçamento do Município de 3.120,00 (três milhões cento e vinte mil reais).

Na prática o prefeito quer que a Câmara de Ibaretama assine um cheque em branco para que a população pague a conta dos devaneios administrativos que o município não suporta mais, se assim permanecer o município de Ibaretama continuará amargando uma posição de destaque entre os mais pobres do Ceará.

Achando pouco, Edson Moraes (PMDB) ainda tenta criar um cargo de Assessor de Assistência Jurídica gratuita através do Projeto de Lei 011/2017 remunerando os “indicados” em quase 5 mil reais cada, e finaliza com o Projeto de Lei 012/2017 que pede que a Câmara autorize a contratação temporária de profissionais por 12 meses para todas as secretarias a critério da administração municipal.

O Pacotão imoral está tramitando nas comissões da casa legislativa e deve ir ao plenário nesta sexta-feira (7) para apreciação dos vereadores.

Fazemos parte da rede do Portal Revista Central - informação em tempo real com credibilidade. acesse: www.revistacentral.com.br

Nenhum comentário:

::: NOSSOS VÍDEOS

Loading...