quarta-feira, 2 de maio de 2018

Vereadores condenam decreto do município que retira direitos de servidores


O Decreto 011/2018 anula artigos da lei 134/2015 aprovada pela Câmara Municipal de Ibaretama.

Marta Pascoal (aula de cidadania)  Foto: KV
Os vereadores do município de Ibaretama, Sertão Central, se posicionaram na sessão ordinária do ultimo dia 27 de abril, com a presença de oito dos nove vereadores que compõem o legislativo municipal, a sessão teve ainda a participação da supervisora Marta Pascoal, umas das prejudicadas pelo decreto.


Os parlamentares foram unanimes em condenar a maneira como o município vem tentando resolver os problemas com a folha de pagamento, para o Vereador Presidente, Professor Carliando Almeida (PRB), não é perseguindo o servidor que a administração vai conseguir acertar o passo. O Município anulou os efeitos de um artigo da Lei 134/2015 que assegura direitos a supervisores de ensino concursados desde 2007 A anulação foi por decreto municipal assinado pelo prefeito no ultimo dia 24 de abril. 

Os vereadores Til Saturno (PT), Carlinha do Hospital (PSD) e Valberleno (PV) foram taxativos e falaram do desmantelo administrativo que vem sendo causado pela administração municipal, para eles o prefeito foi infeliz na medida e a vereadora Tereza Carla solicitou por requerimento que o prefeito anule o ato, por unanimidade os vereadores aprovaram a demanda da parlamentar.

Já o Vereador Gerson (PCdoB) trouxe uma denuncia, de acordo com o parlamentar, teve servidor que recebeu em 2017 mais de 7.000 (Sete Mil reais) somente em diárias, para o parlamentar, isso sim, tem que ser visto para equilibrar as contas “se estamos em crise como se explica isso?” questiona o vereador que foi eleito na base do prefeito.

Os vereadores Daniel Lopes (PSDB) e Vanderlene Queiroz (MDB), disseram que jamais ficariam contra os servidores e apoiaram o requerimento da oposição pedindo a anulação do decreto, estes vereadores formam a base de sustentação do governo municipal.

A Supervisora Marta Pascoal usou o Plenário com a permissão da presidência para esclarecer que as supervisoras têm direito adquirido desde 2007 e que considera desrespeitoso o ato do executivo que tenta remanejar suas funções.

A Câmara espera uma resposta do prefeito Edson Moraes (MDB), para se manifestar mais incisivamente sobre o caso, atualmente a população tem observado o apoio incondicional ao governo de Edson Moraes (MDB), apenas de três parlamentares, Vanderlene Queiroz (MDB), Daniel Lopes (PSDB) e Claudio de Paula (PTdoB) que não estava na sessão por motivo de saúde, mas tem se posicionado ultimamente em suas falas favorável as ações da gestão municipal. 

Nenhum comentário:

::: NOSSOS VÍDEOS

Loading...