Compre Agora

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Operação Carro-Pipa não será interrompida

Regional

Por Fábio de Oliveira

carropipa

Defesa Civil Nacional assegura continuidade do abastecimento em cidades do Interior pela Operação Pipa

Choró.
O programa emergencial de abastecimento de água potável para o semi-árido não será mais paralisado. Havia necessidade de interrupção para avaliação dos custos e benefícios da ação. De acordo com a Defesa Civil Nacional, a decisão foi revogada. A informação foi passada pela assessoria de comunicação do órgão federal. A ação continuará atendendo os municípios que solicitaram a assistência emergencial e comprovaram a necessidade do abastecimento. No mês passado, o Ministério da Integração Nacional havia divulgado a suspensão do programa para o próximo dia 31 de agosto.

A notícia deve chegar como um alívio para a população de Choró, no Sertão Central. Depois da chuva em excesso, voltaram a sofrer, dessa vez, pela falta de água. Mais de 30 açudes arrombaram e, agora, pouco mais de 60 dias após o fechamento da quadra invernosa, pelo menos 80% dos moradores dependem exclusivamente da água potável fornecida pelos carros-pipa para sobreviverem. A carência e a possibilidade de paralisação do programa emergencial de abastecimento, o Operação Pipa, prevista para o início de setembro, estava deixando muita gente preocupada.

Segundo o coordenador da Defesa Civil Municipal, José Mauro de Holanda Jucá, a equipe do Exército Brasileiro responsável pela implantação e fiscalização da Operação Pipa na região havia informado que os caminhões-tanque atenderiam as comunidades somente até o próximo dia 31. Em Choró, o estado de calamidade é enfrentado na zona rural e principalmente na área urbana da cidade. Dependem dos carros-pipa para assegurar a sobrevivência.

Não foi preciso andar muito para constatar o drama vivido pelos moradores. A dona-de-casa Ana Cristina de Paula é um deles. Ela, o marido e os três filhos dependem dos quatro baldes que apanham por dia na cisterna do Centro de Referência do Conjunto Cidade Nova para beber e tomar banho. Ali, outras 300 famílias fazem o mesmo. Além delas, escolas, creches, o comércio, o hospital e até o Fórum de Justiça dependem da água retirada do Açude Marias Pretas, em Quixadá. Foi o reservatório mais próximo encontrado para abastecer as cisternas espalhadas pelo município. São 37km até o manancial.

Outra comunidade que sofre é a do Riacho do Meio, no distrito de Maravilha. Lá, a cisterna recebe apenas seis cargas de água por mês.

Por ironia, a pouco mais de 3km do Centro de Choró, o Açude Pompeu Sobrinho acumula 103,7 milhões de metros cúbicos de água, 72,6% de sua capacidade total. Segundo Jucá, é o maior volume desde a última sangria, em 1974. Antes da chuva, estava com pouco mais de 20% da capacidade. Mas a água não é apropriada para o consumo humano. Para piorar, dos pouco mais de 13 mil habitantes, mais de seis mil estão na sede. O prefeito José Mendes disse ter enviado solicitação da decretação de Emergência para a Defesa Civil do Estado e´para a 10ª Região Militar.

Mais informações
Operação Pipa : 10ª Região Militar
(85) 3255.1646
Defesa Civil do Ceará
(85) 3101 4571

EMERGÊNCIA

10 cidades solicitaram inclusão no programa

Choró De acordo com o secretário adjunto da Defesa Civil do Estado, coronel Leandro Nogueira, por enquanto, 11 municípios do Ceará estão inclusos na Operação Pipa. Outros 10 solicitaram inclusão, completou o capitão Eduardo Gonçalves, gerente de Minimização de Desastres. No entanto, Nogueira ressaltou a necessidade de comprovação dos critérios estabelecidos pelo Ministério da Integração Nacional para a concessão do auxílio.

Além do preenchimento correto do formulário de Avaliação de Danos (Avadan) e inspeção de técnicos da Defesa Civil, o Produto Interno Bruto (PIB) e o orçamento dos municípios também são levados em consideração para o auxílio.

Beneficiados

No Ceará, atualmente, Canindé, Capistrano, Itapiúna, Russas, Choró, Campos Sales, Salitre, Mombaça Milagres e Brejo Santo são beneficiados. Os municípios de Brejo Santo, Limoeiro do Norte, Aiuaba, Antonina do Norte, Reriutaba, Saboeiro, Aracati, Jaguaribe, e Hidrolândia solicitaram inclusão. Técnicos da Defesa Civil estão visitando as áreas apontadas e realizando os roteiros. Os trabalhos devem se estender até a próxima semana. Em seguida, os relatórios serão encaminhados para o Ministério da Integração.

O sargento José Passos, do Comando da 10ª Região Militar do Exército, auxiliar de coordenação da Operação Pipa no Ceará, Piauí e Tocantins, atualizou as informações sobre as cidades atendidas no Estado. Por força do vencimento de contrato, Mombaça, Brejo Santo e Milagres foram excluídas, pelo menos administrativamente. Todavia, ele acredita que o número de carros-pipa circulando pelo Interior deve aumentar. Atualmente são 52. O quadro da estiagem está se acentuando sertão adentro. Apesar das comemorações dedicadas à Semana do Exército, demonstra preocupação com a situação.

Com dois anos dedicados ao programa emergencial, o sargento acrescenta que um dos momentos mais tristes para sua equipe é dar a notícia às comunidades que não receberão mais água. "A população sente mesmo", acrescenta. Mas, ainda não oficializada, ele confirma o recebimento de mensagem eletrônica da Defesa Civil Nacional revogando a decisão anterior.

ALEX PIMENTEL
COLABORADOR
DIÁRIO DO NORDESTE

Matéria Autorizada. Fonte: www.revistacentral.com.br

Nenhum comentário:

::: NOSSOS VÍDEOS

Loading...